Impresso em: 14/11/2018 05:37:49
Fonte: http://www.ecosdotocantins.com.br/noticia.php?l=0d4592d93ac957b37ebdc152a9f25c60

Tocantins, com 1,7 mil focos neste ano, e outros dois Estados concentram 55% das queimadas em áreas florestais e lavouras

09/07/2018 10:29:58

(foto: Melissa Decaria/Naturatins/Divulgação)
Desde o início do ano foram cerca de 216 mil focos de incêndios em áreas florestais e de lavoura em todo o país, ou seja, 52% maior do que o registrado no mesmo período de 2017
 
Uma das causas do aumento no número de queimadas em áreas florestais e de lavoura pode ser o maior tempo de estiagem em 2018. Mas bombeiros e especialistas também chamam a atenção para o desmatamento e para a degradação ambiental como fatores responsáveis pela ampliação dos focos.

Levantamento feito pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) a pedido do Norte Agropecuário aponta que o Tocantins, que registrou mais de 1,7 mil focos neste ano, está em terceiro lugar do ranking nacional de Estados que mais queimadas em 2018. Juntos, o Tocantins, Mato Grosso e Roraima concentram 55% dos registros de queimadas em áreas florestais e em lavouras de 1º de janeiro a 27 de junho deste ano.


Conforme os dados repassados pelo INPE, no mesmo período do ano passado foram 1.725 focos no Tocantins. Já em todo o ano de 2015 foram 15.673 registros. E, em 2016, foram 14.494.

O INPE aponta que o Estado com o maior número de queimadas de 2018 é o Mato Grosso (4.091), seguido por Roraima, com 1.971. O Tocantins tem 1.734 focos de incêndio.

Conforme dados revelados pela Agência Brasil, desde o início do ano foram cerca de 216 mil focos de incêndios em áreas florestais e de lavoura em todo o país, ou seja, 52% maior do que o registrado no mesmo período de 2017.

ESTIAGEM EM 2018

Uma das causas do aumento no número de queimadas em áreas florestais e de lavoura pode ser o maior tempo de estiagem em 2018. Mas bombeiros e especialistas também chamam a atenção para o desmatamento e para a degradação ambiental como fatores responsáveis pela ampliação dos focos de incêndio.

(Da Redação do Norte Agropecuário, com informações da Agência Brasil)