Impresso em: 13/11/2019 16:32:57
Fonte: http://www.ecosdotocantins.com.br/noticia.php?l=a60ac17fadb7fc002405b7852bc9fb4a

CMN autoriza bancos a prorrogar parcelas de julho e agosto de crédito de custeio do arroz; encargos serão atualizados

16/08/2019 10:16:20

web
as instituições financeiras podem prorrogar o vencimento das parcelas de crédito rural de custeio da cultura, vencidas ou vincendas em julho e agosto de 2019.
Kelly Oliveira

De acordo com o Ministério da Economia, a medida vai permitir que produtores comercializem a safra de 2018/2019 em melhores condições. As instituições financeiras podem prorrogar o vencimento das parcelas de crédito rural de custeio da cultura, vencidas ou vincendas em julho e agosto.

as instituições financeiras podem prorrogar o vencimento das parcelas de crédito rural de custeio da cultura, vencidas ou vincendas em julho e agosto de 2019. (Foto Divulgação Web)

O Conselho Monetário Nacional (CMN), em reunião extraordinária realizada hoje (14), autorizou a prorrogação das parcelas das operações de crédito rural de custeio da cultura do arroz.

Segundo o Ministério da Economia, a medida vai permitir que produtores comercializem a safra de 2018/2019 em melhores condições. Com a decisão, as instituições financeiras podem prorrogar o vencimento das parcelas de crédito rural de custeio da cultura, vencidas ou vincendas em julho e agosto de 2019, contratadas no ano agrícola 2018/2019.

As parcelas objeto da prorrogação devem ser atualizadas pelos encargos contratuais e o pagamento poderá ser efetuado em até 3 parcelas mensais e consecutivas, com o vencimento da primeira em outubro de 2019.

Segundo o Ministério da Economia, a relação entre os custos variáveis de produção e o preço médio no Rio Grande do Sul (principal produtor de arroz do país) aumentou 25% entre as safras de 2012/13 a 2016/17 e as safras de 2017/18 a 2018/19. “Essa evolução do custo indica compressão das margens dos produtores de arroz, o que compromete a capacidade de pagamento dos financiamentos, particularmente das operações de custeio contratadas a partir do ano agrícola 2018/2019”, diz o ministério, em nota.

(Da Agência Brasil)