Pium, segunda 23 de outubro de 2017

Meio Ambiente

Nossos Animais Silvestres: Pato-corredor (Neochen jubata)

12/10/2017 17h48

Créditos: Selene Vital Pato-corredor Neochen jubata, fotografado no Parque Estadual do Cantão-PEC
 

Marcos Leão e Selene Vital

 

Pato-corredor, Neochen jubata (Spix, 1825) é uma ave da Ordem Anseriforme, Família Anatidae. Também conhecido como Ganso-do-orinoco, é um pato grande medindo entre 53 -76 cm, possui o pescoço longo e porte ereto que lhe confere a aparência de ganso. Seu nome científico [do grego] neos = novo; e khen = ganso; [do latim] iuba, iubatus = crista, com crista; significa: Novo ganso com crista.

 

Ocorre da Venezuela a Bolívia, Paraguai, Argentina e Brasil, neste último, tem distribuição na Amazônia e Brasil Central. De ocorrência localizada, é observado em praias arenosas ao longo de rios de médio e grande porte com mata ciliar bem desenvolvida; também é encontrado em savanas alagadiças, geralmente abaixo de 500m de altitude. Periodicamente vagam de um local para o outro, provavelmente em função do fluxo das cheias dos rios.

 

No Brasil as maiores populações da espécie acontecem na região central, em Unidades de Conservação - UCs. No Estado do Tocantins, Parque Estadual do Cantão - PEC no município de Pium, e Parque Nacional do Araguaia - Parna Araguaia na Ilha do Bananal, municípios de Pium e Lagoa da Confusão. Essas áreas abrigam uma das quatro grandes populações mundiais da ave, sendo a única no bioma Cerrado.

 

O Pato-corredor raramente é visto nadando ou voando, preferindo correr rapidamente e com agilidade nas margens dos rios e lagos, característica essa, que lhe confere seu nome popular. Forrageia no capim baixo, alimenta-se das partes tenras de vegetais e invertebrados (insetos, vermes e moluscos).

 

Tem ocorrência nos bancos de areia ribeirinho, geralmente em casais, bem separados uns dos outros; às vezes em pequenos grupos. É uma espécie muito territorial, na época de reprodução os machos lutam vigorosamente entre si antes da formação dos casais. Nidificam em cavidades naturais, oco de árvores ou esporadicamente no chão, próximo aos rios. Chocam de 6 a 10 ovos de cor creme lustrosos, durante um mês aproximadamente.

 

O macho é maior que a fêmea e apresentam as mesmas cores de plumagem. Cabeça, pescoço e peito cinza-amarelados, flancos de cor castanho-ferrugineo, manto escuro, asas verde-escuras com um especulo branco. Rabadilha e cauda negras com brilho roxo-metálico, e crisso branco. Bico preto por cima e rósea por baixo, pernas avermelhadas.

 

Neochen jubata (Pato-corredor) está considerada como próxima espécie a entrar na lista de ameaçadas de extinção pela União Internacional de Conservação da Natureza – IUCN.

 

A espécie foi tema da Mesa Redonda “Evitando Extinções de Espécies no Brasil: Exemplos e Princípios” organizado pela Universidade de Brasília-UnB; IBDiscute e Funatura, contou com a participação da Universidade Federal do Tocantins-UFT; University of Florida (EUA); Duke University (EUA); Fundação Pró-Natureza (Brasília), o evento aconteceu no dia 24/08/2017, no Campus da UFT em Porto Nacional/TO.

 

BIBLIOGRAFIA

 

GWYNNE, J. A. ... [et al.]. 2010. Aves do Brasil: Pantanal & Cerrado. Editora Horizonte. São Paulo. Comstock Publishing Associates. Nova York, NY.

  

SICK, H. 1986. Ornitologia Brasileira, Uma Introdução; Vol. I, 2ª Edição. Editora Universidade de Brasília. Brasília – DF.

 

SIGRIST, T. 2013. Avifauna Brasileira - Guia de Campo Avis Brasilis; 3ª Edição. Avis Brasilis Editora. São Paulo.

http://ww2.uft.edu.br

 

http://www.wikiaves.com.br

 

 

Marcos Leão e Selene Vital - são redatores da coluna Meio Ambiente.

 

 

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.
Jornal Ecos do Tocantins    |    Contato: trajanocoelho@gmail.com    |    (63) 98444-2993