Pium, sexta 18 de agosto de 2017

Agronegócios

Às vésperas do lançamento do Agro+ por Temer e Alckmin em SP, grupo de sem-terra invade 10 fazendas no Pontal

20/02/2017 03h54

Edna Torriane - TV Fronteira Invasão na região do Pontal do Paranapanema ocorre às vésperas da ida de Michel Temer a São Paulo para lançar o programa Agro+ ao lado de Geraldo Alckmin
 
Dois dias antes de o presidente Michel Temer e o governador paulista Geraldo Alckmin lançarem o programa “Agro+”, um grupo de sem-terra liderado por José Rainha Júnior deu início a invasões de terra no Pontal do Paranapanema (extremo oeste de SP).

A Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) deu início ao "Carnaval Vermelho", sábado, 18, com a invasão de dez fazendas na região considerada o foco do conflito agrário no Estado. Conforme informações do jornal O Estado de São Paulo e o portal G1 de Presidente Prudente, cerca de 700 militantes participaram dos atos.

Nesta segunda-feira, 20, Temer, Alckmin e o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, lançam na capital paulista o programa que visa desburocratizar as atividades do campo.

Paralelamente a isto, a FNL, em nota comunicou que as ações fazem parte de um protesto contra o que consideram "descaso do governo com a reforma agrária e a miséria no campo".

Ao Estadão, José Rainha Júnior afirmou que a reforma agrária está paralisada há muito tempo, com grave aumento da miséria no campo, e que a política do governo Temer é focada no agronegócio. "O pequeno agricultor está desamparado", disse. De acordo com a FNL, foram ocupadas propriedades rurais em Teodoro Sampaio, Presidente Venceslau, Santo Anastácio, Presidente Epitácio, Presidente Bernardes, Paulicéia, Ouro Verde, Junqueirópolis, Dracena e Marabá Paulista.

ZÉ RAINHA E MICHEL TEMER

A FNL é dirigida por José Rainha Junior, dissidente do Movimento dos Sem-Terra (MST) e que, no ano passado, foi a primeira liderança de movimento social agrário recebida pelo então presidente em exercício Michel Temer (PMDB). Na ocasião, Rainha foi levado ao encontro pelo deputado federal Paulo Pereira da Silva, o Paulinho da Força (SD-SP), que conseguiu a nomeação de indicados para dirigir o Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra).

O fato repercutiu entre ruralistas, como o senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), que condenou a atitude do presidente da República.

REINTEGRAÇÃO DE POSSE

A Polícia Militar confirmou a mobilização dos sem-terra, mas não tinha, até as 12h deste sábado, 17, a relação das áreas invadidas. Segundo a PM, os proprietários estão sendo orientados a entrar com ações de reintegração de posse. O Incra informou que, desde 2014, em convênio com o Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), vem promovendo a arrecadação de terras devolutas no Pontal do Paranapanema para a reforma agrária, mas a obtenção definitiva das áreas depende do interesse dos fazendeiros em fazer o acordo. Atualmente, o convênio tem como foco nove mil imóveis rurais da região.

Da Redação do Norte Agropecuário, com Estadão e G1 Presidente Prudente)

   

Comentários (0)

  • Nenhum comentário publicado. Clique aqui para comentar.
Jornal Ecos do Tocantins    |    Contato: trajanocoelho@gmail.com    |    (63) 98444-2993